16 de maio de 2009

Sono x Mito

Wehr writes: "It is tempting to speculate that in prehistoric times this arrangement provided a channel of communication between dreams and waking life that has gradually been closed off as humans have compressed and consolidated their sleep. If so, then this alteration might provide a physiological explanation for the observation that modern humans seem to have lost touch with the wellspring of myths and fantasies.''

17 de abril de 2009

Free the Pirate Four


Free the Pirate Four
Originally uploaded by Daniel Poeira
When I heard today about the decision of the swedish court against the ThePirateBay crew and their former internet host provider, the good old "this is wrong" feeling warmed my brain again and I stopped everything I was doing to dedicate some time for this cause.

I am not going to get into details right now, but since I believe most of the internet users and particularly the art community is largely pro-torrents and against the huge corporations running this game, I started making a series of posters (beginning with this humble quick one) about the subject. I sincerly hope that other artists will do the same, creating images, text and sounds that might help on this important campaign.

The time has come for each and every one of us to decide if we wanna be a part of the problem or if we wanna be a part of the solution. It's time to decide if you want to be a gigantic and powerful dinossaur or a ridiculously tiny and furry mammal. And we all (OK, most of us) know what happened to the dinosaurs.

R-evolution is happening right here and right now.

Make Darwin proud.

8 de abril de 2009

3 de abril de 2009

23 de março de 2009

Civilization

22 de março de 2009

A evolução da humanidade!


E la nave va...

Meu Epitáfio

Aqui jaz

Daniel Poeira

Ele morreu como sempre viveu:

de repente.

19 de março de 2009

Deteriorata 2

A Sara e o Barbi comentaram no post sobre o Desiderata lembrando daquele famoso texto "Wear Sunscreen". Os dois textos são mesmo bem parecidos: ambos tiveram suas fontes originais mascaradas por lendas urbanas (Desiderata como sendo um texto encontrado em uma igreja, e Wear Sunscreen foi atribuído ao Kurt Vonnegut); e ambos foram gravados por um narrador com música de fundo. A música "Wear Sunscreen" foi produzida pelo cineasta australiano Baz Luhrmann, que ainda fez um video-clipe tão barango quanto toda a obra dele (e obviamente também foi um sucesso danado). Pois bem - a outra coisa que esses dois textos têm em comum é que "Wear Sunscreen" também teve o seu "Deteriorata": Chris Rock, um dos últimos bons "comediantes" dos EUA, escreveu uma versão chamada "There is no sex in the champagne room". A seguir, alguns trechos selecionados e traduzidos por mim:

"Senhoras a senhores da turma de 1999, eu tenho alguns conselhos (...) Não entre em festas que têm detetor de metal na porta (...) Se um mendigo carrega um cartaz engraçado, é porque não é mendigo a tempo suficiente. Um mendigo de verdade teria fome demais para fazer piadas (...) Se uma garota tiver uma piercing na língua, provavelmente ela vai querer chupar seu pau. Se um cara tiver um piercing na língua, também (...) Aqui está o horóscopo de todo mundo... Aquário: você vai morrer. Capricórnio: você vai morrer. (...)"

16 de março de 2009

Para que serve a arte?

"The role of the artist is to allow people to experience life yet unlived. This is the most significant thing we can get from art."

- Yuri Norstein

15 de março de 2009

Túnel de Realidade (Reality Tunnel)

"Reality tunnel" é um termo cunhado por Timothy Leary e popularizado por Robert Anton Wilson.

A teoria diz que, com um conjunto de filtros mentais inconscientes formados por suas crenças e experiências pessoais, casa indivíduo interpreta o mesmo mundo de maneira diferente. Logo, "a Verdade está no olho do observador".

Isso não necessariamente implica que não existe verdade objetiva; apenas que nosso acesso a ela é mediado por nossos sentidos, experiências, condicionamento, crenças prévias, e outros fatores não-objetivos. O mundo individual que cada pessoa ocupa é chamado de seu túnel de realidade. O termo também pode ser aplicado a grupos de pessoas unidos por uma mesma crença: podemos falar no túnel de realidade dos cristãos fundamentalistas, no túnel de realidade dos materialistas científicos, etc.

Um paralelo pode ser encontrado no conceito psicológico de confirmation bias - nossa tendência a notar e associar significância a observações que confirmem nossas crenças, enquanto filtramos observações que não se encaixam nelas. Isso ajuda a explicar por que o túnel de realidade é transparente para quem está dentro dele. (...)

From Wikipedia, the free encyclopedia

10 de março de 2009

Ozymandias

Conheci um viajante de uma antiga terra
Que me disse: Duas grandes pernas de pedra
Jazem no deserto. Perto delas, na areia,
Metade afundado, jaz um rosto despedaçado, cuja carranca
E lábio enrugado e olhar arrogante de frio comando
Mostram que seu escultor leu bem essas paixões
Que ainda sobrevivem, estampadas nessas coisas sem vida,
A mão que os desprezava e o coração que alimentava.

E no pedestal estas palavras surgem:

"Meu nome é Ozymandias, Rei dos Reis:
Observem meus trabalhos, oh poderosos, e desesperem-se! "

Nada ali perto existe: em volta dos destroços

daquela ruína colossal, ilimitada e nua,
A solitária e nivelada areia se estende por muito longe.

tradução: Daniel Poeira

2 de março de 2009

Deteriorata

"Desiderata" é um poema de 1927, escrito por Max Ehrmann e que fez muito sucesso nos Estados Unidos. Fez tanto sucesso que começaram a circular o texto sem o nome do autor, dizendo ser um texto encontrado na catedral de São Paulo em Baltimore. Obviamente era mentira, apenas mais uma das inúmeras que as pessoas inventam todos os dias para tentar criar sentido no que não tem e nem deveria ter.

É um daqueles poemas meio auto-ajuda, entediantemente neutros e cheio de insights "inovadores" como "não importa o que aconteça, seja feliz". O tipo da coisa que as senhoras brancas de meia idade gostam de ler enquanto tomam o chá da tarde e suspiram pensando na vida maravilhosa que vão ter quando morrerem e forem para o céu. Ou tentando se lembrar de qual foi a última vez em que viram um membro entumescido - para usar uma expressão típica da Barbara Cartland, outra campeã de audiência, ou melhor, de leituras dessa casta.

Pois bem. Em 1972 o escritor Tony Hendra, do National Lampoon, escreveu uma versão atualizada do poema, chamada "Deteriorata", revisando os conceitos filosóficos totalmente alienantes e poliânicos do poema original. Reproduzo aqui apenas alguns trechos, e a conclusão do poema, que achei brilhante e inspiradora:

"Você é um evento aleatório do universo. Você não tem o direito de estar aqui. (...) Seja confortado pelo fato de que apesar de toda a aridez e desilusões da vida, apesar das mudanças bruscas nas marés do destino, sempre existe um futuro promissor no setor de manutenção de computadores. (...) Não importa se você está ouvindo ou não, mas o universo está sempre rindo pelas suas costas. (...) Conhece-te a ti mesmo. Se precisar de ajuda, chame o FBI. (...) Esteja seguro do fato de que um passeio pelos oceanos das almas da maioria das pessoas mal conseguiria umedecer as solas dos seus pés. (...) Mesmo com todas as suas esperanças, sonhos, promessas, e revitalizações urbanas, o mundo continua se deteriorando. DESISTA!!"

24 de fevereiro de 2009

Quijote

Comedido e regalado amante;
Foi anão para mim todo gigante.

20 de fevereiro de 2009

Tropeços

- Vocês dois estão ajeitados na vida... Eu ainda tô tropeçando...

- Mas vida é assim mesmo... a gente tropeça, tropeça, tropeça, tropeça, tropeça... e aí, um belo dia... a gente cai!

17 de fevereiro de 2009

Notícias Novas

Existem certas manias idiotas que eu não perco nunca. Consumir notícias é uma delas. Por mais que eu me esforce, mais cedo ou mais tarde acabo sendo fisgado por uma manchete, uma matéria na TV, uma capa de revista semanal, ou até mesmo um monitor de LCD idiota instalado dentro de um elevador.

O que mais me irrita nas notícias é que elas nunca têm nada de novo. Os "repórteres" e "jornalistas" que trabalham para esses veículos de mídia são apenas fornecedores de conteúdo. As notícias, assim como tudo mais no mundo, se tornaram apenas mais uma forma de entretenimento, e é isso que esses "jornais" passam adiante. Prova disso é o sucesso retumbante de jornais impressos como o Super.

Cansado de tanta repetitividade, decidi poupar os nobres jornalistas do extenuante trabalho de ligar para assessores de imprensa todos os dias, e decidi publicar, aqui e agora, todas as notícias que vão acontecer em 2009. É só dar copiar-colar.


POLÍTICA. Senadores obscuros de estados insignificantes vão provocar alarde com projetos ridículos de leis idiotas. A corrupção vai continuar rolando solta, mas ninguém vai fazer nada a esse respeito, exceto continuar dizendo que a corrupção tem que acabar. CPIs serão criadas à toa, e ninguém que fez alguma coisa realmente errada vai ser preso. Todos os partidos vão continuar tendo o mesmo discurso vazio, e a esquerda vai continuar fazendo sexo com a esquerda, dando à luz filhotinhos de cruz-credo que não têm nenhuma personalidade ou ideais políticos. As pessoas vão continuar votando e pagando impostos.

ESPORTES. Torcedores vão continuar sendo assassinados em brigas de torcida e atentados aleatórios. Os times brasileiros vão continuar sendo cada vez piores. Jogadores brasileiros vão continuar sendo vendidos para o exterior antes de completarem 18 anos de idade. E o Ronaldo nunca mais vai ter 18 anos de idade. O Campeonato Brasileiro vai ser disputado entre São Paulo e Internacional.

POLICIAL. Pessoas vão matar outras pessoas por motivos que nós, que não somos elas, achamos idiotas. Vamos ler e isso pensar "e se fosse comigo?". Pessoas de roupa branca vão fazer passeatas na rua pedindo um fim à violência. Não vai adiantar nada. Você, ou alguém próximo a você, vai ser assaltado. Você, ou alguém próximo a você, vai comprar cocaína.

INTERNACIONAL. Conflitos armados na Palestina, em Israel e na Faixa de Gaza. O exército israelense vai levar uma pedrada, e vai contra-atacar com mísseis, helicópteros, bombas de gás, metralhadores e tanques fabricados na França e nos EUA. Atentados na Indonésia. Guerrilha e tráfico de drogas no México e nas florestas da Colômbia. Brasileiros que moram nos EUA e na Europa, legalmente ou não, serão maltratados, agredidos ou até mesmo assassinados. Ninguém vai ajudar os países pobres. Nem o Bono, nem a Angelina Jolie podem mudar isso.

ECONOMIA. Durante a recessão financeira que atinge a economia mundial, os ricos vão conseguir ficar ainda mais ricos, e os pobres vão ficar ainda mais pobres. Grandes bancos e fábricas de armamentos, carros e aviões vão continuar faturando trilhões de dólares por ano enquanto o resto do mundo apodrece de fome, doença e calor.

TECNOLOGIA. A Microsoft vai lançar produtos idiotas e pretos. A Apple vai lançar produtos idiotas e brancos. Todo mundo vai falar que os da Microsoft são uma merda e que os da Apple são maravilhosos, mas a Microsoft vai continuar dando muito mais dinheiro do que a Apple. O novo iPod vai ser ainda branco do que o anterior. A Etiópia e o Haiti vão continuar sem energia elétrica.

COTIDIANO. Brasileiro adora deixar tudo para a última hora. Vejam como o shopping fica lotado no dia anterior ao carnaval / Dia dos Namorados / Dia dos Pais / Dia das Mães / Halloween / Dia das Crianças / Natal. Vejam também como o povo brasileiro é criativo e busca formas de economizar, comprando ovos quebrados na páscoa e trocando o peru do natal por um frango. Aprenda também a limpar a sua casa usando produtos caseiros iguais aos que a sua vó usava quando você era criança e você achava ela ridícula e antiquada.

CULTURA. Qualquer coisa que vier da Inglaterra ou dos EUA vai ser o maior sucesso no Brasil, mas todos os brasileiros vão continuar falando que os americanos e os ingleses são babacas, até que alguma bobagem qualquer aqui do Brasil vai fazer sucesso lá fora (uma sandália, uma música ruim, uma modelo de 40 kg) e então nós vamos ficar muito orgulhosos de sermos brasileiros, sem saber muito bem por que.

COLUNA SOCIAL. As pessoas vão ficar ainda mais ridículas do que elas já eram no ano passado.

13 de fevereiro de 2009

Por que você seria inútil em um desastre de verdade

publicado originalmente como um post do blog The Low Life.
transcriado por Daniel Poeira.




Por Que Você Seria Inútil em um Desastre de Verdade


1. Você não consegue viver sem Internet.

A maioria de vocês que estão lendo isso aqui não faz a menor idéia do quão grave isso é. Uma coisa é saber que você vai ficar longe da Internet por algumas horas, dias, ou até semanas; mas a idéia de um futuro onde ela não exista é impensável. A tecnologia se tornou uma substituta para ter grandes coisas na vida, e ela te engana fazendo você pensar que ela tem tudo de que você precisa. A Internet não é mais apenas uma ferramenta: é um novo estilo de vida, e quando é cortada da vida das pessoas elas são forçadas a encarar a realidade, mas sem os calos que elas teriam criado se tivessem gasto seu tempo do lado de fora, com pessoas reais, ao invés de ficar surfando em sites idiotas.


2. Você é extremamente sedentário

Se você está acostumado a ficar o dia inteiro com a bunda sentada na cadeira e se movendo na sua própria velocidade, você vai sofrer bastante tentando se adaptar a uma vida onde o movimento é absolutamente necessário. A vida real envolve ter que fazer coisas, correr, se esconder, procurar comida, encontrar e construir abrigos. Note que também não haveriam mais lugares confortáveis para você se sentar, mesmo se houvessem horas vagas. Nada de cadeiras ergonômicas, nada de colchões da NASA com espuma inteligente. Seu mundo inteiro iria se transformar em um lugar desconfortável e pouco familiar.


3. Privação é entediante

Quando você não está em movimento, fica sentado pensando no quanto a sua vida é fudida e o quanto o futuro vai ser pior ainda. Quando você se mexe, faz coisas mundanas, tarefas repetitivas que você não tem escolha a não ser fazer. Tentar acender uma fogueira, extrair vermes das suas feridas, tentar encontrar um substituto aceitável para o papel higiênico, etc. É por isso que os mendigos fumam crack. Chega uma hora em que a vida parece um projeto tão fracassado que você pensa: "Por que não?". Por que não admitir que não existe saída e que essa é a única coisa que você pode fazer para ficar feliz?

Mas e se a coisa ficar tão ruim que nem mesmo o crack existir, ou então se ele existir você não vai ter dinheiro para comprar? A alternativa é o sexo, e é por isso que tantos pobres têm AIDS e um monte de filhos, e é por isso que você é estuprado na cadeia.


4. Competição demais

Você não tem a menor idéia do que seja competição. Você nunca competiu até que você precise disputar comida com um bando de sobreviventes famintos. Imagine estar em uma batalha contra um monte de gente pela coisa mais importante da vida delas naquele momento. Em uma tragédia de grande escala, você vai encontrar isso o tempo todo. Quando você estiver caído no chão no meio dos outros desesperados, você vai compreender o real significado da expressão "furar o olho". Esse tipo de coisa exige rispidez e egocentrismo das mais altas ordens. Quer você queira ou não, existem situações na vida em que as únicas opções são fazer a pior coisa possível, ou morrer.


5. Você não está preparado para fazer o tem que ser feito

Você provavelmente não está pronto para encarar ter que chupar o pau de um cara, ou brigar e depois ser estuprado por 20 pessoas. Você não está pronto para comer lixo ou roubar comida. Você está despreparado para enfrentar ocasiões em que você deve esquecer todos os seus ideais e conceitos prévios e fazer coisas a que normalmente você não recorreria. Situações ruins destroem o seu ego e todos os seus ideais de moral e bons costumes. Pessoas que sobrevivem a tragédias não são legais. São sacanas, ladrões e assassinos.


6. Suas habilidades são inúteis

OK, então você é um excelente web designer. Fantástico. Agora imagine que você e seus filhos estão passando fome. Você vai cozinhar seus conhecimentos de PHP para eles comerem? Imagine que você está em um campo de refugiados em um país pobre e em guerra civil constante, sem Internet num raio de 200 quilômetros quadrados. Imagine você vivendo na rua, um mendigo bem educado entre milhares de mendigos bem educados.

Você só tem habilidade suficiente para sobreviver dentro de um certo esquema, que tenha estradas, governo e ordem. Se esse esquema for dissolvido, um pedreiro mexicano analfabeto ou um veterano de guerra aleijado estão mais aptos a sobreviver do que você.


7. Você espera que as pessoas sejam razoáveis

Você espera que as pessoas sigam determinadas regras, que elas sejam governadas pela lógica mais primária - acontece que quando as pessoas são amargas e violentas isso não acontece. Sabe aqueles maridos que batem na esposa pelos motivos mais ridículos, pelas coisinhas mais irracionais? Não é que isso faça sentido para eles; é que eles sentem que têm o direito de fazer isso mesmo quando não faz sentido, só porque eles estão a fim de bater em alguém, provocar dor. Bem, o mundo está cheio deles, e quando as coisas ficam feias e desesperadas para todo mundo, eles se multiplicam. Algumas pessoas são governadas pela vontade de provocar o mal, e se você for a pessoa mais conveniente para eles descontarem sua malícia, eles te atacam. Você, por outro lado, que espera um aviso antes que alguém faça alguma maldade, você que está preparado para acreditar que a maioria das pessoas é boa; você vai levar um chute no saco, vai tomar porrada e vai ser largado no meio da rua, sangrando, pensando o que foi que você fez para provocar isso.


8. Você acha normal ter regalias

As pessoas que têm coisas para vender tiveram sucesso em convencer a maior parte da humanidade de que um telefone celular é uma necessidade. Ele não é. É uma conveniência, e das pequenas. Um carro é uma conveniência grande e significativa, mas ainda assim não é uma necessidade. Existe uma diferença entre coisas muito legais e coisas essenciais para a sobrevivência. Você pode viver muito bem sem telefone celular ou carro. Sem antibióticos, ou abrigo no inverno, nem tanto. Graças às grandes empresas, a linha entre necessidade e luxo ficou muito borrada. Hoje em dia, quase ninguém sabe do que realmente precisa. E então eles ficam falidos e endividados comprando um monte de merda inútil.


9. Você não sofreu o suficiente

Você é mimado, molenga, gentil, acostumado a uma vida onde a coisa mais horrível que pode acontecer é o seu carro estragar e você engordar alguns quilinhos. Quando as coisas realmente ruins começarem a acontecer, subitamente você vai se ver despreparado e sem saber o que fazer para lidar com uma mudança real e dramática das circunstâncias. Fins-de-semana acampando no parque não te preparam para uma vida sem casa onde não existe nenhuma esperança de voltar a ter um abrigo permanente. Algumas briguinhas no colégio não te prepararam para ter que lutar pela sua vida com as próprias mãos aos 30 anos de idade. Como tudo na vida, ser capaz de lidar com problemas súbitos é uma habilidade. Você não aprende isso brincando com seus brinquedinhos, se divertindo ou engordando. Você aprende isso não sendo complacente. Ficando preparado e adquirindo experiência.

Quando o sofrimento é novidade para você - privações reais e horríveis - é preciso um período de ajuste para superar o choque inicial. Mas na vida real, especialmente quando ela fica realmente real e desagradável, esse período não existe. A situação caminha em sua própria velocidade, e normalmente você não tem tempo de se preparar o suficiente para a próxima coisa horrível: elas continuam acontecendo e acontecendo. Vai ficando cada vez pior.


10. Depressão e pânico

Você não lida bem com mudanças, especialmente as do tipo calamitoso. Isso é porque sua vida é relativamente estável. Você pode se preocupar com a situação chegando, tentar visualizá-la, mas mesmo assim você não pode compreender essa outra realidade porque você nunca enfrentou nada realmente desastroso antes. Aquelas pessoas que você vê nos vídeos do 11 de Setembro, fugindo dos prédios em chamas, sabem do que eu estou falando. Até certo ponto, a habilidade de construir e manter uma nação estável é uma coisa boa - até que essa estabilidade é danificada ou destruída. As pessoas na África, nos países que vivem em constante guerra civil, lidariam melhor com o 11 de Setembro. Eles sabem que a vida envolve súbitos episódios de tragédia, e que nenhum período de paz dura muito tempo. As pessoas moles, que acham que a paz é uma coisa garantida, que passam muito tempo sem perder nenhum conhecido - são elas que ficam histéricas, que se suicidam quando a merda bate no ventilador.



Se você pensou que esse texto é sobre o Aquecimento Global, a Guerra Nuclear ou o Dia Z, é porque você não lê jornal. Acompanhe as notícias do novo cenário econômico mundial, o impacto da "crise" nos Estados Unidos, ou até mesmo as notícias sobre os desabrigados da chuva em Belo Horizonte, e entenda que você não está assim tão longe dessa realidade.

8 de janeiro de 2009